Procedimentos administrativos

Creditações

 

  Tendo em vista o prosseguimento de estudos para a obtenção de grau académico ou diploma, os estabelecimentos de ensino superior:

    1. Creditam a formação realizada no âmbito de outros ciclos de estudos superiores conferentes de grau em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros, quer a obtida no quadro da organização decorrente do Processo de Bolonha, quer a obtida anteriormente;
    2. Creditam a formação realizada no âmbito dos cursos de especialização tecnológica até ao limite de um terço do total dos créditos do ciclo de estudos;
    3. Creditam as unidades curriculares realizadas com aproveitamento, nos termos do artigo 46.º-A (unidades curriculares isoladas ou de ciclos de estudos subsequentes), até ao limite de 50% do total dos créditos do ciclo de estudos;
    4. Podem atribuir créditos pela formação realizada no âmbito de cursos não conferentes de grau académico em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros, até ao limite de 50% do total dos créditos do ciclo de estudos;
    5. Podem atribuir créditos por outra formação não abrangida pelas alíneas anteriores, até ao limite de um terço do total dos créditos do ciclo de estudos;
    6. Podem atribuir créditos pela experiência profissional devidamente comprovada, até ao limite de um terço do total dos créditos do ciclo de estudos.
  1. O conjunto dos créditos atribuídos ao abrigo das alíneas b), d), e) e f) do número anterior não pode exceder dois terços do total dos créditos do ciclo de estudos.
  2. A atribuição de créditos ao abrigo da alínea f) do n.º 1 pode ser total ou parcialmente condicionada à realização de procedimentos de avaliação de conhecimentos específicos.
​​
  • Estudante do IPMAIA, no âmbito dos estudos em curso ou prosseguimento para outros ciclos de estudos;

  • Estudantes que já tenham sido admitidos nas provas de acesso ou no processo de candidatura a um ciclo de estudos superiores, no IPMAIA;

  • Estudantes do IPMAIA que entraram pelo Concurso Especial – Maiores de 23 anos;

  • Candidatos com idade superior a 25 anos e, pelo menos 5 anos de atividade profissional comprovada na área de um curso de especialização tecnológica. Relativamente ao qual pretendam que lhes seja atribuído o respetivo diploma (DET).

  • Formação realizada no âmbito de outros ciclos superiores conferentes de grau em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros;

  • Formação realizada no âmbito dos cursos de especialização tecnológica;

  • Unidades curriculares realizadas com aproveitamento em ciclos de estudos subsequentes ao ciclo de estudos, a que o estudante se encontra inscrito, em caso de inscrição no ciclo de estudos em causa;

  • Formação realizada no âmbito de cursos não conferentes de grau académico em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros;

  • Outra formação não abrangida pelos pontos anteriores.

Sim.

Pode ser creditada a formação anterior e/ou de experiência profissional com vista ao prosseguimento de estudos para obtenção de grau académico, de acordo com o regime jurídico definido pelo Decreto-lei nº 74/2006, de 24 de março, alterado pelos Decretos-Lei nº 107/2008, de 25 de junho, 230/2009, de 14 setembro e 115/2013, de 7 de agosto, nomeadamente os artigos 45.º, 45.º-A e 45.º-B, e ainda pela Portaria nº 401/2007, de 5 de abril.

Sim.

O pagamento deve ser efetuado no prazo de 2 dias úteis após a entrega do pedido na Secretaria.

Os estudantes que ingressaram nos cursos em funcionamento no IPMAIA, deverão proceder à entrega de documentos comprovativos da experiência profissional que possuem, devendo os mesmos ser autenticados pelas entidades onde foram prestados os respetivos serviços ou demonstradas as competências adquiridas.

Os seguintes documentos deverão ser entregues na Secretaria do IPMAIA juntamente com o requerimento dirigido ao Presidente:

  • “Curriculum Vitae”  com descrição pormenorizada das funções desempenhadas e da outra formação obtida;

  • Declarações comprovativas, emitidas pelas entidades empregadoras e/ou autoridades de tutela, que indiquem as funções desempenhadas, o tempo de duração das mesmas e que façam uma apreciação qualitativa do desempenho do candidato / estudante;

  • Declaração comprovativa dos respetivos descontos para a Segurança Social, quando aplicável;

  • Certificados de habilitações académicas autenticados e comprovativos autenticados das formações obtidas;

  • Cartas de referência significativas para a avaliação da candidatura e outros elementos considerados relevantes, nomeadamente estudos, projetos e relatórios produzidos pelo candidato / estudante.

Esta informação não dispensa a consulta do Regulamento de Creditação de Competências Académicas, Experiências Profissionais e Outra Formação